Wicca é uma floresta, à luz da lua prateada ... uma clareira encantada com a luz das Fadas. Wicca é a gota de orvalho sobre as pétalas de uma flor, o calor do sol de verão na pele, a queda de folhas de outono colorido e a suavidade da neve do inverno na Terra. Wicca é luz e sombra e tudo o que está no meio. É a canção do vento, e a música das marés. Wicca é a sinfonia da vida! Ser uma bruxa é ser uma curadora, uma professora, uma investigadora, uma doadora, e uma protetora de todos os seres vivos.

Codex Gigas - A Bíblia do Diabo

O Codex Gigas (Português: Livro Gigante) é o maior manuscrito medieval existente no mundo. Ele foi criado no início do século 13 no mosteiro beneditino
de Podlazice na Boêmia, e agora é preservado na Biblioteca Nacional da Suécia, em Estocolmo, onde dois bibliotecários são necessários para levantá-lo.
É também conhecido como a Bíblia do Diabo, devido a uma grande figura do diabo no interior e da lenda em torno da sua criação.
O códice está contido em uma pasta de madeira, coberto de couro e enfeitado com metal. Suas dimensões são 92 cm de altura, 50 cm de largura e 22 cm de espessura, e pesa 75 Kg. Ele continha inicialmente 320 folhas de papel vegetal, apesar de oito das quais
foram posteriormente removidas. Não se sabe quem retirou as páginas ou para quê, mas é provável que elas continham as regras monásticas dos beneditinos.
O códice foi criado no mosteiro beneditino de Podlazice perto de Chrudim, que foi destruído durante o século 15. Segundo registros, o códice terminou de ser escrito no ano 1229.
O códice mais tarde foi prometido ao monastério Sedlec e depois comprado pelo mosteiro beneditino em Brevnov. De 1477-1593, foi
mantido na biblioteca de um mosteiro no Broumov até que ele foi levado para Praga em 1594 para formar uma parte das coleções da Rudolf II.
No final da Guerra dos Trinta Anos, no ano 1648, toda a coleção foi roubada pelo exército sueco como pilhagem. De 1649 a 2007, o manuscrito foi mantido
na Biblioteca Real Sueca, em Estocolmo. O local de sua criação é marcado por uma maquete no museu da cidade de Chrast.
Em 24 de setembro de 2007, após 359 anos, o Codex Gigas voltou para Praga no empréstimo da Suécia, até Janeiro de 2008.
O Codex inclui toda a versão Vulgata da Bíblia, exceto para os livros de Atos e Apocalipse, que são de uma versão pré-Vulgata.
Também estão incluídos enciclopédia Isidoro de Sevilha, Etymologiae, Antiguidades Josephus dos judeus, Cosmas de Praga, Crônica de Bohemia,
tractates diversas (de história, etimologia e fisiologia), uma agenda com necrologia, uma lista dos irmãos no mosteiro Podlazice, fórmulas mágicas e
outros registros locais. Todo o documento está escrito em latim.
O manuscrito inclui iluminações em vermelho, azul, amarelo, verde e dourado. As maiúsculas são elaboradamente iluminadas, muitas vezes através da
página inteira. O códice tem uma aparência unificada como a natureza da escrita e mantém-se inalterado, não mostrando sinais da idade,
doença ou estado de espírito por parte do escriba. Isto pode ter conduzido à crença de que todo o livro foi escrito em um tempo muito curto.


A página 290 é vazia e inclui um retrato único do diabo, cerca de 50 cm de altura. Várias páginas antes desta são escritas em um pergaminho escurecido e têm um caráter muito triste, um pouco diferente do resto do códice. A razão para a coloração diferente é que quando a vitela é exposta à luz de "tans", como o pergaminho é feito de peles de animais, ao longo dos séculos as páginas que foram expostas terão uma cor mais escura.
Segundo a lenda, o escrivão era um monge que quebrou seus votos monásticos e foi sentenciado a ser emparedado vivo. A fim de evitar esta sanção severa
prometeu criar em uma única noite, um livro para glorificar o mosteiro para sempre, incluindo todo o conhecimento humano. Perto da meia-noite ele teve a certeza
que não poderia concluir esta tarefa sozinho, por isso ele vendeu sua alma ao diabo para obter ajuda. O diabo concluiu o manuscrito do monge e adicionou uma
imagem do diabo fora de gratidão por sua ajuda.
Apesar desta lenda do códice, ele não era proibido pela Inquisição e foi estudado por muitos estudiosos. Muitos aspectos da lenda, muito provavelmente se originaram da verdade, no entanto, devido ao grande retrato de Satanás, que teria sido único na época, é provável que a lenda alterou a verdade para que a história pudesse ser contada de uma maneira mais interessante. Qualquer pessoa a partir do momento que olhou para o livro dirigiu a atenção para o retrato de Satanás, obtendo assim a impressão de que este foi um dos pontos centrais do livro, explicando por que as pessoas acreditam que o monge fez um pacto com o diabo.
O que muitos não conseguiram ver foi que a página do lado oposto ao retrato era o que se acredita ser um retrato do reino dos céus. Agora, muitos acreditam que
a página dupla foi feita para simbolizar o fato de que o bem e o mal existem lado a lado, e nada de sinistro.
O que provavelmente aconteceu é que o monge convidado a escrever o livro na solidão, o fez durante um período de pelo menos vinte anos.
Muitos monges teriam usado a cópia de textos sagrados como um método de purgar sua alma do mal, o que poderia explicar sua motivação.
A parte da lenda que diz que ele foi emparedado vivo como um castigo foi, provavelmente, uma má interpretação do seu nome, que se acredita ser em latim
Herman Inclusus ou em português Irmão Recluso. Esta interpretação é compreensível que a palavra Inclusos poderia referir-se tanto a punição
ou isolamento voluntário.

4 comentários:

Anônimo disse...

Interressante saber pois desconhecia esta história.Bem e mau convivem dia após dia mas de sorte que alguns são desmasiadamente abonados de tal sorte e outros abandonados por ela.

Anônimo disse...

Gostei da explicação! vi um documentário que se referia ao codex gigasa, como possivel instrumento usado durante o exorcismo.

JEANN DFL disse...

o intrigante é q que na pagina ao lado da ilustração da imagem do Diabo, há uma ilustração da Nova Jerusalém, a cidade santa descrita no livro de Apocalipse. Mas poucas vezes essa ilustração é citada, talvez pq a visão do Diabo seja mais atraente para homem do que a imagem do paraíso...

JF disse...

Como dito acima, parece ser mais interessante mostrar o mal que mostrar o Céu. Deveriam ter evidenciado a visão celeste !